Educamoc - O Portal da Secretaria Municipal de Educação de Montes Claros
Publicado Ter, 27 de Novembro de 2018 Imprimir
"Programa Revelando o Patrimônio" na Escola Mestra Fininha

Com o objetivo de conhecer, entender, documentar e divulgar o patrimônio imaterial da comunidade do Ciro dos Anjos, os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental, professoras, supervisão e direção da Escola Municipal Mestra Fininha, aventuraram-se na proposta do “Programa Revelando o Patrimônio", de mapear aquilo que há de mais rico na comunidade, como atividades de economia solidária que melhoram a qualidade de vida, valorizam a participação democrática, a cooperação, a preservação ambiental e os direitos humanos.  

Dentro das atividades, os alunos tiveram a oportunidade de pesquisar e reconhecer os protagonistas na comunidade, que desenvolviam atividades alternativas à geração de trabalho e renda, com a integração dos envolvidos em todas as etapas do processo produtivo, e promovendo no bairro uma corrente solidária de cooperação.  

“Os alunos documentaram a história de perseverança da comunidade do Ciro dos Anjos para manter essa riqueza: os saberes tradicionais, transmitidos de pessoa a pessoa, de pai para filho, de um grupo para outro, de geração para geração e que são constantemente recriados. Além dos trabalhos de campo, foram desenvolvidas pesquisas no laboratório de informática, registros em sala de aula, debates, entrevistas, fotografias, vídeos e criação de um grupo no Facebook com vistas na exploração e comparação, estabelecendo diálogos construtivos entre o saber formal e informal.”, explica a professora de geografia da unidade, Iara Pimentel, uma das coordenadoras do projeto ao lado da professora de ciências, Normélia Cangussu Araújo.  

Bem Cultural 

Identificada pelos alunos como bem cultural, a “Horta Comunitária Orgânica do Ciro dos Anjos”, resiste aos tempos de seca e de muita chuva, há mais de vinte anos na produção de alimentos orgânicos. Na horta, a adubação e o controle de pragas é feito com a utilização de materiais tirados da natureza e de predadores naturais, por meio do controle biológico, que permite que, mesmos depois de muitas colheitas, o solo continua fértil e a água sem contaminação. 

“Os alunos ficaram curiosos com a geração dessa riqueza verde e com a sabedoria daquelas mulheres que cultivam a terra, reconhecendo a relação da comunidade com o plantio, manutenção, comercialização e consumo dos produtos agrícolas típicos da agricultura familiar brasileira.”, lembra a professora Iara. 

A Horta Comunitária está localizada na área da Escola e conta com assembleias regulares para tomada de decisões como em relação às novas parcerias, compras de materiais, inclusão de novos moradores da comunidade no processo produtivo, além das mediações de conflitos. As assembleias são presididas pela diretora da unidade, Kátia Simone, e com a participação do coletivo de mulheres responsáveis pelo plantio, cultivo, distribuição e comercialização, dentre outros representantes da comunidade e demais interessados. 

Na ‘II Mostra de Produções do Programa Revelando o Patrimônio”  

A “Horta Comunitária Orgânica do Ciro dos Anjos” esteve entre os projetos de nove escolas da cidade, que foram expostos na “II Mostra de Produções do Programa Revelando o Patrimônio", realizada no dia 13 de novembro, na Praça Flamarion Wanderley.  

Com o objetivo de levar o projeto para a exposição, a professora de ciências, Normélia Cangussu, e os alunos do 9º ano empenharam-se na produção das mudas e no reuso de materiais e confecção de uma Horta suspensa, de mandalas e arte em decopauge. Ao longo do desenvolvimento do projeto, os alunos trocaram diversas vezes as paredes da sala de aula pelo campo de pesquisa, pela observação, entrevistas e ainda receberam visitas de profissionais interessados na proposta de trabalho.  

“Ficamos motivados para dar continuidade nesse diagnóstico da vivência em comunidade do Ciro dos Anjos. Não podemos nos esquecer da nossa diretora, a professora Kátia Simone, que se empenha na busca de garantias para manutenção da Horta e também da nossa ex-diretora, Éllen Esteves Costa, idealizadora e fundadora da Horta Comunitária e Orgânica do bairro Ciro dos Anjos.  Conhecer a mossa História possibilitou um olhar diferenciado sobre a vivência da comunidade, suas potencialidades e as alternativas coletivas de superação e melhoria da qualidade de vida da nossa comunidade.”, comenta a professora, Iara Pimentel. 

Texto e Fotos: E. M. Mestra Fininha

Leia também:
‘II Mostra de Produções do Programa Revelando o Patrimônio” contou com a participação de seis escolas municipais
PROFESP realiza Primeira Feira empreendedora do Programa
Alteração do cronograma de matrículas para as vagas na Educação Infantil 2019
Trilha da Leitura apresenta “Gabriel, curioso por natureza” em mais 8 unidades